Veja as últimas Expedições Amazônia
Expedição Guará Vermelho – Uma visita ao Mangue Paulista

Estação Ecológica da Juréia

Gaivotas (2)A Estação Ecológica fica no litoral sul paulista e compreende uma imensa área preservada composta por praias, rios, cachoeiras e muita floresta ombrófila densa. Esta é a maior região de Mata Atlântica do Estado de São Paulo e proporciona paisagens excelentes não apenas para fotógrafos, mas também para amantes da natureza. Por isso é considera Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Por meio da Expedição Juréia tivemos a oportunidade de explorar esta região em um estudo fotográfico com a participação de uma equipe de fotógrafos e cinegrafistas, os quais registraram a Estação com os olhos sensíveis do observador.

Apesar da precariedade das opções de estadia e alimentação na Juréia, ainda assim vale a pena se aventurar, pedir autorização à administração do parque ou contratar guias moradores que podem levar os visitantes pelos rios Estação adentro, trilhas nas matas e praias desertas. Para se locomover na Estação tem-se a opção de alugar um jeep 4×4, com guia que acompanhará os visitantes durante toda a estadia, pois as atrações são distantes umas das outras e o terreno não é apropriado para veículos urbanos. Procure o atencioso Rubens da Ecotur. Porem deve-se ter cuidado na contratação dos serviços, pois nem todos os fornecedores locais estão preparados para trabalhar com a hospitalidade e profissionalismo necessários.

Transporte Jureia

Transporte Jureia

No primeiro dia adentramos em trilhas que nos levou a poços e espelhos d’água naturais e mata fechada, com grande exuberância de espécies da flora e detalhes de incrível beleza. A região é intensamente povoada por quaresmeiras, jacarandás, canelas, jatobás, figueiras, cedros, angicos, caxetas, guarandis, os amarelos guapuruvus e claro muito palmito.

 

Surpresas da mata

Surpresas da mata

Foram visitadas as praias de Guarauzinho, Arpoador e Parnapoã. A travessia foi feita de barco no Núcleo Arpoador e a recepção dentro da Estação foi feita pelo guia altamente recomendado, o Sr. Dito, caiçara nascido na reserva, descendente de Tupiniquins, grande conhecedor e apaixonado pelo local. Ele nos conta que recebe alunos e grupos para, voluntariamente limpar as praias do lixo que chega pelo mar, dispensado pelas embarcações.
As praias são desertas e planas, separadas por morros e chapadões que são percorridos em trilhas de diferentes níveis. Os maciços da Serra da Juréia datam do período pré-Cambriano e tem de 500 m a 870 m de altitude.

Travessia Nucleo Arpoador

Travessia Nucleo Arpoador

Praia do Guarauzinho

Praia do Guarauzinho

 

Praia do Arpoador

Praia do Arpoador

Casa de caiçara

Casa de caiçara

No coração da Estação fica a Cachoeira do Guilherme, uma incrível paisagem que impressiona pelo tamanho e por seu estado intacto. São necessárias 3 horas de barco para alcançar o local, que costumava abrigar uma comunidade caiçara, mas que agora está abandonada.

Cachoeira do Guilherme

Cachoeira do Guilherme

Cachoeira do Guilherme 2

Cachoeira do Guilherme 2

As refeições na Juréia podem ser realizadas no premiado restaurante Mamma Lina (almoço e pizza na pedra à noite) e também na Toka do Lula (procure pela simpática e competente Ivete).

Fonte: http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/carolpeixoto.pdf

 

 

abre-post-30A Estação Ecológica da Juréia, como é mais conhecida, se entremeia junto a um mosaico de áreas de proteção ambiental entre as cidades de Perúibe, Miracatu, Itariri e Iguape, ambas no litoral sul paulista. Esta área é a maior porção de Mata Atlântica Nativa do Estado (quase 80 mil hectares) e se mantém na maior parte de sua área, Floresta Ombrófila Densa é intocada.

Uma expedição fotográfica para a Juréia representa a possibilidade de navegar em rios pouco navegados rumo à reserva, caminhar em trilhas que levam a praias ainda virgens e de acesso proibido ao turismo e visitar algumas das mais lindas cachoeiras da região.

Tudo isso em companhia de fauna e flora típica de Mata Atlântica, como palmitos, bromélias, begônias e orquídeas. Nesta região já foram encontradas as onças pardas que são o topo da cadeia alimentar local, portanto são comuns as ariranhas, mão pelada e até existem registros de Guarás Vermelhos nos mangues.

Texturas Juréia

Texturas Juréia

Transportes Apropriados O transporte é facilitado pelas estradas de acesso e a proximidade com a capital (139 km). As estradas Imigrantes e Padre Manoel da Nóbrega estão em ótimas condições e a Van Executiva do Olhar Turístico leva por volta de duas horas da cidade de São Paulo até este paraíso ambiental. Na Juréia o transporte é feito em jipes tracionados, devido às condições das estradas e acessos dentro da Estação.

Hospedagem no Instituto de Biologia A hospedagem é feita no Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente – IBIMM, uma ONG que atende alunos de biologia e outras áreas em busca de cursos práticos relacionados ao ambiente da mata e do mar.

Arara do IBIMM, Donatelo

Arara do IBIMM, Donatelo

O Instituto fica em propriedade beneficiada com mais de 50 mil m² de Mata Atlântica virgem, repleta de cachoeiras e cursos de rios, anexo à administração. Durante a estadia tem-se acesso a informações direto do biólogo diretor do Instituto.

Fachada do IBIMM, Sede do IBIMM

Fachada do IBIMM, Sede do IBIMM

O roteiro é diversificado e inclui atividades dentro e fora dos limites da Estação Ecológica Jurpeia-Itatins, com entrada pela cidade de Perúibe.

A alimentação é caiçara, caseira e de praia, aproveitando os ingredientes e o talento local. Todas as refeições estão inclusas e as bebidas são pagas individualmente e à parte.

Segue Roteiro de três dias na Juréia


[spacer size=”10″]

1º dia – 03 de outubro de 2014

[spacer size=”5″] Almoço no Mamma Lina Este restaurante já coleciona premiações e publicações nos principais guias de Praia, além de já ter sido tema de reportagem em canais de televisão aberta. Dona Lina, a proprietária intitula sua gastronomia de “Comida Caseira Feita com Amor”. Uma das melhores opções de alimentação dentro da Juréia. No cardápio se encontram peixes, carnes e aves com ingredientes locais e frescos.

Restaurante Mamma Lina,Tainha a Guaraú

Restaurante Mamma Lina,Tainha a Guaraú

Trilhas de Mata Atlântica O IBIMM fica instalado numa área de grande beleza natural que pode ser conhecida por meio de trilhas de Mata Atlântica onde se encontram cachoeiras, pássaros coloridos, árvores gigantes e enorme variedade de flores silvestres.

Trilha no IBIMM, Árvore gigante IBIMM

Trilha no IBIMM, Árvore gigante IBIMM

Uma das cachoeiras é das Antas, com grande poço onde as antas costumavam beber água e que até hoje é freqüentada por outros mamíferos noturnos com sede. As trilhas do IBIMM oferecem atividades de até 4 horas na mata. Existem no local vários poços de água cristalina, próprios para banhos.

Cachoeira das Antas, Cachoeira no IBIMM

Cachoeira das Antas, Cachoeira no IBIMM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Birdwatching IBIMM, Bird feeding IBIMM

Birdwatching IBIMM, Bird feeding IBIMM

 

No IBIMM os pássaros são alimentados diariamente e com o aproximar do inverno, a alimentação fica mais escassa na floresta então os visitantes testemunham a presença de inúmeras espécies, inclusive algumas raras no jardim da sede.

Jantar  – Restaurante Mão de Pilão

Acampamento Noturno na Mata (opcional)  À noite os mais aventureiros podem realizar uma atividade diferente, dormir na mata. O acampamento noturno é feito na mata anexa ao IBIMM em local já utilizado durante as aulas de biologia. Os viajantes devem levar suas redes protegidas e prepararem suas câmeras e lanternas, pois os animais noturnos costumam aparecer.


[spacer size=”10″]

2º dia – 04 de outubro 2014

[spacer size=”5″] Praias Arpoador, Guarauzinho e Parnapua

Estação Ecológica

Sr. Dito, um caiçara local recebe os aventureiros para trilhas e praias desertas ao longo do litoral protegido da Estação. Pra chegar nas praias só atravessando o rio Guaraú de barco. Aqui fica o grande alojamento para visitantes das faculdades e cientistas, mas está em reformas e sem condições de abrigar visitantes. As trilhas são de Floresta tropical Úmida e levam às restingas já na deserta Praia de Parnapuã. Próxima também a Praia do Juquiazinho e do Arpoador. Os passeios neste Núcleo da Estação podem durar dia todo.

Almoço Lanche na Trilha [column size=”1-2″ style=”0″ last=”0″]

Praias dentro da Estacao

Praias dentro da Estacao

[/column] [column size=”1-2″ style=”0″ last=”1″]

praia de guarauzinho

Praia de Guarauzin

[/column] Jantar – Restaurante Mama Lina – Pizza na Pedra  


[spacer size=”10″]

3º dia  – 05 de outubro 2014

[spacer size=”5″] Navegação no Rio Una Horas de passeio subindo o principal rio da Juréia, cruzando a planície costeira em direção à Serra do Itatins. Com o pé da serra vem as cachoeiras, encravadas na mata, próximas do rio e alcançadas por meio de trilhas.

Rio Una aéreo

Rio Una aéreo

Almoço na Toka do Lula O almoço é realizado na Toka do Lula, um restaurante agradável e bem rústico que fica no Guaraú, ainda dentro da Juréia. Também aqui, várias opções de peixes, carnes e aves ou ainda saladas. O restaurante fica anexo à mata e várias aves podem ser vistas das mesas.

 

Retorno a SP