pão francês
Big Bread, estrutura para todas as necessidades
Pães rústicos
Santa Branca, o pão é o carro chefe

Padarias da Cidade

Pão da 7 molinos

É notória a fase de expansão e inovação das padarias da cidade de São Paulo. Maiores, mais bem estruturadas utilizando tecnologia de ponta e mão-de-obra cada vez mais qualificada, um dos mais tradicionais tipos de comercio de São Paulo esforça-se para oferecer cada vez mais, melhores produtos a seus clientes.

Atualmente as principais padarias da cidade vão muito além do pãozinho e servem café da manhã, almoço, happy hour e jantar. Algumas até ficam 24 horas aberta. Pensar que a primeira padaria pública foi aberta em 140 a.C. em Roma é entender o grande percurso da panificação mundial.

Saiba um pouco mais sobre a história do Pão para entender como chegamos até aqui!

No Brasil, antes da vinda da Família Real no século XIX, o pão era feito em casa, pois a atividade fabril era proibida neste país colônia. As primeiras iniciativas neste sentido foram alguns privilegiados que tinham permissão da Coroa para vender pães aos turistas que desciam dos navios no Porto do Rio de Janeiro.

Forno pão italiano

Forno de Pão Italiano

Em São Paulo foi onde tudo começou. Foram os italianos que trouxeram a farinha de trigo e abriram as primeiras padarias entre o final do séc. XIX e início do séc. XX. Importante ressaltar que a São Paulo da época era chamada de “Cidade dos Italianos”, pois haviam mais expatriados e descendentes da Itália que todos os outros povos na cidade.

Os pães caseiros produzidos eram mais duros e crocantes e geralmente eram consumidos em dois ou três dias, pois iam se tornando mais macios com o passar do tempo.

Ainda restam algumas dessas padarias, já centenárias, que mantêm o mesmo método de fermentação natural trazido pelos imigrantes italianos.

As dificuldades com a falta de qualidade do trigo produzido no país, além da difícil adaptação do trigo europeu no calor Brasileiro só diminuíram sensivelmente com a abertura da importação do trigo de melhor qualidade Americano. Com ele iniciou-se a produção da massa branca e assim a Bengala (versão brasileira da baguete francesa) e a unidade menor, o Pão Francês passou a ser consumido no país inteiro com nomes diferentes.

Atualmente, as farinhas mais escuras, que foram desviadas para a confeitaria com a chegada da massa branca voltam a fazer sucesso na panificação, junto com o retorno da fermentação natural.

Ainda há muito o que ser descoberto e produzido nesta área no Brasil, porém passos largos estão sendo dados nessa direção.

Neste editorial o Olhar Turístico irá apresentar algumas destas Padarias da Cidade e suas especialidades na arte de fazer pão e outras coisas mais.

Conheça algumas das melhores Padarias da Cidade de São Paulo

croissant da Marie Marie Bakery

 

Marie Marie Bakery (Tatuapé)

Toda a arte e qualidade da panificação e confeitaria Francesa e Vienosserie, num local com ambientação aconchegante e clima urbano ao estilo de uma bakery Americana

 

pães rústicos da padaria santa branca

 

Santa Branca (Moóca)

Uma padaria tradicional, que tem respeito pela qualidade e tem um dos melhores pães franceses de São Paulo

 

 

pães da big bread

 

Big Bread (Tatuapé)

Variedade de pães, buffets, sorvetes e conveniência com ampla estrutura

 

Fonte Bibliográfica: Bravos Panificadores (A História dos 100 da Aipan)

Cunha, Odir
       Bravos panificadores : a história dos 100 anos da Aipan = Brave bakers : the history of the 100 year of Aipan / [pesquisa e produção de textos / research and texts ; tradução / translation Ricardo Cunha Lay]. — São Paulo : Magma Cultural e Editora, 2015.

Apoio Editorial: